12/12/2013

HxH 108 : Porque nós amamos drama!

O episódio valeu a pena, não só pelos lindos momentos do rei e da Komugi, mas pelos momentos de "drama queen" do Pouf!

O que eu posso dizer que não parece apenas um surto de fã que adora esta borboleta afetada? Nada! Qualquer um pode ver o quanto o Pouf ama é leal e se preocupa com seu rei, mas que ainda assim não é só um soldado que o obedece sem pensar ou questionar suas ações, embora ele não exponha seus pensamentos. É engraçado ver que dentre todas as aparições da guarda real nesse episódio, o único que se mostrou menos maluco ali foi o Yupi que estranhou as reações de seus colegas, afinal, o Pouf teve um momento de drama emocional na sala e Pitou parecia estar tendo um ataque no alto da torre. Um fato interessante que pude notar é que o Pouf, pelo visto, tem o habito de tocar seu violino quando fica muito nervoso, não lembro se ele faz isso no manga.

Deixando os guardas de lado, temos o grande desenvolvimento do Meruem neste episódio, seja emocional ou lógico, ele esta tão concentrado em jogar com a campeã de gungi que não da maior importância para o que devia ser seu foco principal no momento, a seleção, sendo que ele deixa tudo para Shaiapouf lidar e se irrita quando este insisti em querer discutir com ele sobre a seleção. Um detalhe que eu gostaria de destacar é quando o Pouf fala sobre os planos pós-seleção, tais planos seriam como o rei iria construir seu reinado a partir dali, e o rei diz "Só isso? Faça como quiser", vamos pensar assim: você é um governante e precisa pensar em como ira reger seu país, mas invés disso, você da tal dever para subalternos e fica jogando xadrez sem parar sem se importar com o que eles podem estar fazendo com seu governo. É basicamente isso que o rei fez. Ele esta tão absorto no jogo, que devia ser somente uma distração, que não da maior importância para aquilo que ele nasceu para fazer que é reinar.

Com o despertar da Komugi, o rei percebe que ela esta cada vez mais inalcançável em questão de habilidade, logo ela seria invencível no gungi, mas isso não o faz se aborrecer, ao contrário, ele parece muito interessado nisso. Quando o rei pergunta a Komugi qual o nome dela, ele esta admitindo que ela é singular e passa a vê-la não apenas como a garota do Gungi, mas como Komugi. Ela própria se surpreende com ele querer saber o nome dela. Em seguida, no momento em que ela pergunta a ele qual o seu nome, ele entra em um estado de choque, aquilo era algo que ele não tinha precisado até então e isso o abalou, pois como um ser tão poderoso e importante como ele não tinha algo simples como um nome (isso nos remete a algo mais profundo como o fato de até então o rei não ter uma identidade própria, ele era somente o rei e nada além disso). Logo depois, ele questiona isso para seus guardas, sendo que a resposta que obteve foi simplesmente a de que ele, como rei é superior a todos e não precisa de um nome, ele é o rei e somente isso basta para identifica-lo, pois nenhum outro tem poder ou capacidade para ser chamado de rei (boa jogada da parte deles, já que nem eles sabiam o nome do rei).

Graças ao fato da Komugi ter começado a despertar suas habilidades de nen por excessivo tempo jogando gungi, o rei começa a perceber que apenas ter força física não é o único meio de ser superior a todos, pois Komugi não precisou disso para supera-lo em algo, embora ela seja fraca fisicamente, ele não é capaz de derrota-la no jogo, logo, ela é superior a ele nesse quesito. Seguindo esse raciocínio, Meruem começa a se questionar se ele é mesmo alguém superior a todos, pois se uma humana o superou, talvez outro humano possa ser superior a ele em outra área e pensando assim, ele lembra daquela criança que ele matou no caminho do palácio, ela poderia ser melhor que ele em algo e ao mata-la, ele fez esse possível potencial sumir sem razão. Podemos notar que o Meruem não esta só pensando que há muitas pessoas habilidosas com grande potencial no mundo, mas no fato de que ele não pode ser perfeito em tudo porque sempre pode haver alguém melhor que ele em algo e isso é inevitável de acontecer.

Durante esse momento, Shaiapouf, mentalmente, teme que o rei chegue a conclusão de que ele não merece ser rei, de que ele é fraco e inferior. Mas para contrariar plenamente suas expectativas, o rei mostra uma repentina nova resolução para seu raciocínio, dizendo que ele tinha esse direito de extinguir qualquer vida por nada porque ele é o rei, o ser mais poderoso do mundo. Meruem conclui que a força bruta é o único poder que importa e sendo mais forte que todos, ele não precisava se preocupar com outras áreas em que ele não é bom, pois tendo força, ele simplesmente poderia destruir aqueles que o superavam. Com isso, Pouf cai novamente no choro e se arrepende de duvidar de seu soberano, concluindo que ele não é digno de ser um guarda real. Aqui temos um momento divertido da guarda real, aonde eles discutem sobre o impacto que Komugi teve sobre o rei e em como ela é perigosa por isso. Yupi diz que se ela se tornar uma ameaça maior, eles apenas devem mata-la, isso chateia Pouf, pois ele também pensou assim lá no inicio do episódio.

E aqui temos o melhor momento do desenvolvimento do rei, enquanto ele se dirigia para o aposento aonde Komugi esta, ele tenta se convencer que ela não é diferente de qualquer outro humano insignificante, que já bastava de jogos, ela não era mais necessária já que só servia apenas como distração até o dia da seleção, ele esta pronto para mata-la, seria fácil, com um simples golpe a reduziria a pedaços, mas seu plano vai por água abaixo quando abriu a porta do aposento e se deparou com Komugi sendo atacado por um pássaro e, para grande surpresa dele próprio, sua primeira reação foi matar ave e ver se Komugi esta bem.

Isso foi algo tão maravilhoso de ver porque em questão de segundos, Meruem mudou de convencido em se livrar da menina para simplesmente a proteger e questionar porque ela não pediu ajuda, ficando ainda mais chocado com o fato dela não querer incomodar ninguém (ela preferiu ser ferida á pedir socorro!). Quando Komugi diz isso, ele fala que ela não esta incomodando e que é uma convidada especial, internalmente, ele esta perplexo com o que diz e fica mais ainda quando ela começa a chorar, pois ninguém foi tão gentil com ela antes. Ao vê-la assim, Meruem parece atordoado, questionando-se o tempo todo sobre o porque não conseguiu mata-la e mais ainda porque ele esta tão interessado nessa humana que até então ela considerava repugnante e inferior.

Eu adorei muito esse episódio, tivemos uma boa dose de alivio cômico entre os momentos emocionantes, o que pecou mesmo durante o episódio foi o pouco explicado plano de invasão e, novamente, a má colocação de ost no momento em que Gon e cia estão elaborando ele. Sério, se não tivessem colocado essa parte, ela não teria feito falta, pois foi mal colocada, mas é o de sempre, mais para frente será preciso ter uma ideia básica do quanto o plano teve que sofrer alterações de ultima hora pelos eventos que irão ocorrer. Ai, ai, só de imaginar aquela cena sendo animada...

Nenhum comentário

Postar um comentário

Deixe um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...